Depois de fazer fama na internet com os vídeos dos consertos de carros realizados em sua oficina mecânica, a High Torque, em Belo Horizonte (MG), o empresário Alexandre Dias Generoso, ou ADG, como é conhecido por seus seguidores, agora lança franquias da sua marca que custam a partir de R$ 420 mil.

O valor inclui custos de instalação, taxa de franquia e capital de giro. O faturamento médio mensal é de R$ 90 mil, com lucro médio de R$ 18 mil. O retorno do investimento é previsto em até 36 meses. Os dados foram fornecidos pela empresa.

As primeiras unidades franqueadas serão em São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Natal e Londrina.

“O pessoal que acompanha os vídeos sempre perguntava sobre franquias, mas eu tinha medo de arriscar a reputação que consegui para a minha marca”, diz ele.

Sua opinião mudou no final de 2015, quando leu uma reportagem que falava sobre a falta de incentivo ao empreendedorismo no Brasil. “Resolvi pesquisar sobre franquias e vi que era possível estabelecer um padrão e manter a qualidade”, afirma. Ele contratou uma consultoria para criar o novo modelo de negócio.

Os primeiros franqueados são pessoas que acompanham seu programa “Por Dentro da Oficina”, no canal High Torque, no YouTube. São quase 400 mil inscritos e cerca de 2,2 milhões de visualizações mensais. São entre dois e três vídeos por semana, que superam 50 mil acessos cada, segundo Generoso.

Espera para atendimento é de dois meses

A empresa foi fundada em 2005. Para virar franquia, passou por algumas mudanças: Generoso deixou de se dedicar à operação para cuidar da expansão, e o foco agora são consertos rápidos e revisões, para que os veículos não fiquem muito tempo parados na oficina.

“Adotei o novo modelo assim que a franquia foi estruturada, no começo do ano, e os resultados foram muito satisfatórios”, declara. Hoje, há uma fila de espera de dois meses para ser atendido na High Torque, segundo o empresário.

“Os vídeos passam confiança, mostram a transparência do nosso trabalho. As pessoas não querem ser enganadas por mecânicos.”

Ele diz que, após as inaugurações, os vídeos serão gravados nas franquias. “Vai ser uma forma de divulgação”, declara.

Há oportunidades no setor, mas qualidade é essencial

O segmento de oficinas mecânicas é pulverizado e não tem marcas fortes, de abrangência nacional, segundo o consultor especializado em franquias Luis Stockler, da BaStockler. “As pessoas têm receio de levar nas concessionárias por achar que vai ser mais caro”, diz.

O setor cresce mesmo na crise pois as pessoas querem manter seu patrimônio, afirma Stockler.

Ele acha positivo o empresário se dedicar à expansão do negócio, desde que o serviço seja padronizado. “Ele é muito didático nos vídeos, o que cria uma boa reputação e ajuda a estabelecer um padrão de serviço e de atendimento.”

É possível ter bom lucro no segmento com a prestação de serviços, de acordo com Stockler, mas é necessário ter controle de custos, eficiência e qualidade na mão de obra, para não danificar os veículos “Se isso acontecer, pode comprometer a rentabilidade.”

FONTE: http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2016/09/01/oficina-que-bombou-com-videos-de-consertos-abre-franquia-por-r-420-mil.htm