O momento ideal para trocar de carro depende de uma série de fatores. O modelo do automóvel, seu estado de conservação e a situação financeira do proprietário são alguns deles. É importante não deixar a emoção, a ansiedade e o medo de perder o negócio tomar conta. A pressa é a grande responsável por verdadeiras dores de cabeça.

A primeira coisa a levar em consideração é que o preço do carro não tem nada a ver com a sua manutenção. Você pode achar que está fazendo um bom negócio e pagando um valor barato por um determinado modelo… E logo depois descobrir que suas peças são caras quando for fazer revisão.

Faça algumas perguntas antes de fechar o negócio: o carro realmente te atende? Você vai compra-lo mais pela razão ou pela emoção? Você tem família ou é solteiro? Perguntas como essas são importantes na hora de escolher tanto o modelo do veículo quanto a real necessidade da troca.

Está mesmo na hora de trocar de carro?

Não adianta comprar um veículo para deixa-lo parado na garagem e fazer manutenção em oficinas ruins. Uma boa base para ter mais certeza que está fazendo um bom negócio na compra do carro é avaliar o valor da “cesta básica” automotiva. Ou seja, a manutenção das peças básicas que vão fazer o carro continuar em funcionamento e que se desgastam naturalmente:

Portanto, antes de efetivar a compra, consulte em uma concessionária ou em uma casa de peças os custos que te esperam com a manutenção das peças do carro que deseja comprar. Não esqueça que elas terão que ser trocadas com certeza frequência.

Se a sua ideia é ter um carro de baixa manutenção basta pesquisar bem. Geralmente esses são os carros considerados populares, que tem um espaço maior para se trabalhar. Suas peças geralmente têm um custo mais acessível.

Antes de decidir pela compra procure uma oficina ou mecânico de confiança e peça uma primeira impressão superficial. Se a resposta for positiva faça uma inspeção mais detalhada. Coloque o carro no elevador e veja se não tem vazamento de óleo; tire as rodas; verifique o estado da pastilhas; cheque se os amortecedores não estão com vazamento; verifique o ruído do motor se o sistema de escapamento não estiver funcionando; meça a pressão do óleo lubrificante; ligue o scanner para ver se a injeção não está com nenhuma falha  ou mascarando algum defeito, etc. messa

Já passou pela experiência de trocar de carro por impulso e depois se arrepender? Ou já trocou o seu antigo por outro e não se arrependeu? Conta pra gente!